estresse

Qual é a relação entre Transtornos Psicológicos e Obesidade?

Qual é a relação entre Transtornos Psicológicos e Obesidade?

Transtornos Psicológicos ou “Doenças da Alma”:

Os Transtornos Psicológicos estão cada dia mais presente em nosso mundo atual, isto por que o estresse, a competividade e o estilo de vida favorecem a presença de ansiedade, depressão, transtorno de estresse, fobias, entre os mais comuns.

Deve-se ressaltar que a doença psicológica normalmente surge quando nos deparamos com um determinado problema e não conseguimos resolver de forma ágil ou resolutiva. Por exemplo, quando estamos com dívidas e não conseguimos pagá-las, podemos ficar sem dormir, sentir dor no peito, sentir taquicardia, sensação de sufocamento (sinais claros de ansiedade).

Voltando ao exemplo da dívida, estando ansioso você procura maneiras de diminuir este “estado de estresse“ e uma das maneiras que pode encontrar é comendo. Comendo o que vier pela  frente, comendo todas as  angústias e aplacando as ansiedades. Fisiologicamente, tem-se uma relação química entre comer e baixar a ansiedade. Quem nunca ouviu o “dá um copo de água com açúcar para fulano se acalmar!” Isto por que quando há um aumento da carga glicêmica, consequentemente há um aumento da produção de serotonina que funciona como um ansiolítico.

Assim, é importante observar se quando se você come mais em situações de estresse, se come mesmo quando não está com fome, se come para se sentir melhor emocionalmente, se recompensa-se com a comida entre outros. Observe-se!

Obesidade:

Nunca tivemos uma população tão acima do peso. Dados da Pesquisa Nacional de Saúde, de 2013, mostram que mais da metade dos brasileiros, ou 56,9% está acima do peso ideal. Em 2015, dados de outro estudo do Ministério da Saúde, o Vigitel, que é realizado apenas com adultos das capitais do país, apontou crescimento de 60% no índice de obesidade entre 2006 e 2015.

Obesidade é uma doença e NÃO existe obeso saudável. A Obesidade abre portas para diabetes, pressão alta, doenças do coração, apnéia, artrite, derrame, entre outras. A Obesidade se instala quando a ingestão calórica é maior que o gasto calórico. Ou seja, só parar de comer e fazer atividade física. Simples assim. Será?

A obesidade é uma doença com múltiplos fatores desencadeantes: alimentação, sedentarismo, hereditariedade e transtornos psicológicos. E deve ser tratada com equipe multidisciplinar: nutricionista, médico, professor de educação física e psicóloga especializado em Transtorno Alimentar. A Psicologia enxerga a Obesidade como um sintoma de alguma insatisfação ou tristeza.  Daí, o indivíduo come para sanar o transtorno psicológico.

Aliado a isto, os níveis de depressão e ansiedade no país está alarmante. De acordo com dados divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS/2017), a população brasileira é a mais deprimida América Latina.

Por outro lado, o paciente obeso, em muitos momentos apresenta depressão e ansiedade por não conseguir lidar com este corpo acima do peso. Paralelo a isto, a obesidade pode levar ao isolamento social, um rebaixamento do humor, diminuição da auto-estima e das atividades diárias (sintomas de quadros depressivos).

Assim, o psicólogo do Emagrecimento irá te ajudar a resignificar a comida. Entender que fome é essa. Identificar que pensamentos mal adaptativos que fazem você comer sem estar com fome, entender a sua história familiar, a sua história desta obesidade.

Finalmente, não temos como saber “quem nasceu primeiro: o ovo ou a galinha”; mas sabemos que Transtornos Psicológicos podem trazer a Obesidade (ou seja, causar comportamentos alimentares inadequados) e a Obesidade pode levar a Transtornos Psicológicos (gatilho para depressão). O importante é que o indivíduo tenha a consciência desta relação, procure ajuda psicológica e tratamento especializado.

Leia também: http://psicologalucianabrasil.com.br/como-cultura-da-obesidade-afeta-sua-qualidade-de-vida/

Visite minha página no Instagram:https://www.instagram.com/psiquemagra/

 

Posted by Psicóloga Luciana Brasil in Todos
Dicas de como administrar seu tempo

Dicas de como administrar seu tempo

 

Uma queixa muito comum em consultório que nos traz/aumenta a ansiedade tem a ver com a administração do tempo. Desde que o mundo é mundo,uma grande angústia do ser humano é a maneira de administrar corretamente o relógio. Isto por que a cada dia, se você for como eu, quer colocar uma atividade atrás da outra (estudo, academia, lazer, trabalho, religião,afazeres de casa, etc). Só que o dia tem apenas 24h! E a maioria das pessoas precisa dormir 8h e ainda temos os grandes desperdiçadores de tempo.

E aí? Como fazer?

Selecionei algumas dicas:

  1. Tenha metas: priorize o que você quer. E escolha no máximo três metas por ano, por exemplo, emagrecer, malhar e estudar. Isto  é importante para que você consiga vencê-las. Esqueça aquelas longas listas de fim de ano.
  2. Diferencie URGENTE de IMPORTANTE. Importante é aquilo que você precisa fazer para sexta-feira (por exemplo) e urgente é para amanhã pela manhã. As pessoas que administram mal o tempo deixam as coisas importantes virarem sempre urgentes. Faça uma lista de prioridades para você ir clicando com I de importante e U de urgente.
  3. Coloque na sua conta de tempo os imprevistos.  Conte a demora no trânsito, o elevador quebrado, um pneu furado, intecorrências que podem acontecer. Assim, você evita chegar atrasado ou esbaforido…
  4. Organize o seu tempo de forma que algumas atividades terão sempre um horário: hora da malhação, hora de responder e-mails, a hora de descansar.Esta dica é mais valiosa quando é uma atividade que você quer que vire hábito, como por exemplo, a atividade física. Se você se colocar que pode malhar em qualquer horário e ainda não tem a disciplina, talvez seja melhor se matricular numa atividade com horários pré-definidos (como natação, dança, etc)
  5. Aprenda a dizer não e delegue ações.  A habilidade de dizer não quando realmente quer se dizer não é fundamental para a nossa saúde mental. Fazer o que não se quer fazer traz angústia e limita nosso tempo. Por fim, aprenda a dizer não senão você corre o risco de abraçar o mundo com as pernas…

Finalmente, respire profundamente várias vezes ao dia – para diminuir a ansiedade. Seja flexível com a vida, deu deu, não deu, não deu…E se possível exercite-se, procure um hobby e consiga organizar o seu dia de forma que ele fique prazeroso e leve. Administração de tempo tem muito a ver com a sanidade mental. E mais uma dica: na hora das refeições desligue o seu celular!

Quer saber mais? Visite minha página no Instagram: https://www.instagram.com/psiquemagra/

Posted by Psicóloga Luciana Brasil in Todos